animação

A CAPELA

A primeira capela de Vasco Esteves de Cima tem como Orago Nossa Senhora da Conceição e deve ter começado a construir-se em 1649, como consta dos Livros de Visitações.

O Livro de Visitações de 1650, folhas 50, reza assim: “E ordeno assim aos do Casal d’ Alem mandarão acabar a que têm começado em tempo de um mês com pena de dois mil reis. E tendo acabada achando o Padre-cura estar decente e com perfeição poderá dizer missa nela para o que lhe concedo licença”.

Em 1651, folhas 53, verso, regista: “Os moradores do casal d’ Alem não deram fim à sua ermida condeno a Fernão da Silva e Pedro de Gouveia em 500 reis cada um que pagarão dentro de três dias sob a pena de excomunhão maior e o Padre cura os dê por públicos excomungados e até a visitação futura dêem fim à capela sob as penas passadas”.

Em 1654, folhas 59, o verso: "Também Fernão da Silva ponhas as portas na sua ermida mais o for necessário e seu cunhado Pedro de pena de 800 reis”.

Em 1655, folhas 61, verso: Fernão da Silva e seu cunhado Pedro de Gouveia não fizeram as portas na sua ermida. Pagarão pois 500 reis sob a pena de excomunhão dentro de dois dias”.

Nos anos seguintes, o Livro de Visitações não volta a mencionar a capela de Vasco Esteves de Cima, embora continue a falar da capela de Vasco Esteves de Baixo, sinal de que deveria ter sido concluída.

Segundo a tradição oral, Vasco Esteves de Cima tinha nessa altura 7 moradores, o que na linguagem da época significativa 7 fogos ou famílias, o que equivalia a um esforço quase sobre-humano, apesar da dimensão da capela que tem 11 metros de comprimento, cinco de largura e quatro de altura.

Em 1913, construiu-se uma torre de madeira para aí ser colocado o sino e o relógio, que então foi comprado, graças a uma subscrição dos naturais de Vasco Esteves de Cima, residentes no Brasil.

A capela não tem capela-mor, nem arco cruzeiro. Apenas um degrau separa o altar da zona da assembleia. Tem um altar barroco, coro alto, com porta para o exterior e uma fresta de cada lado da porta principal da capela. É soalhada de castanho sendo o forro da mesma madeira.

As imagens de Nossa Senhora da Conceição, S. José e duas cruzes de altar são de madeira, enquanto as imagens do Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora de Lurdes, S. João e Menino Jesus, são em gesso.

 

 

Vida Administrativa da Capela

A capela de Nossa Senhora da Conceição sempre um mordomo para os assuntos correntes e para tirar esmolas pelo povo, duas vezes por ano, uma depois das colheitas e outra em Fevereiro, mas, “até 1951 mão há memória descritiva das capelas e dos povos”. “As contas eram de caixote”, na expressão do Padre Jaime.
Contudo: “A Junta da Paróquia de Alvoco da Serra, na sessão de 9 de Fevereiro de 1873, sob a presidência do Pároco, Padre António Francisco de Pina e com a presença dos vogais António Luís Monteiro de Pina e António Marques Pedroso tendo em vista para bem da religião acabar com certos abusos, que de há muito se cometem nos povos de Vasco Esteves de Cima, Vasco Esteves de Baixo e Aguincho com a relação das esmolas que anualmente se tiram as confrarias das Senhoras da Conceição, das Preces e de S. Domingos, único rendimento que têm: hei por bem determinar – que daqui para o futuro (à excepção do ano presente) cada uma das ditas confrarias tenha um mordomo, que será nomeado pela mesma Junta ou por eleição do povo respectivo que deverá sempre recair numa das pessoas mais novas e abonadas do mesmo povo ficando assim revogado o uso do costume de servir de mordomo e indivíduo que há menos tempo se tenha casado”.


Em seguida são enumeradas as obrigações do mordomo e do tesoureiro.
Até 1951, o tesoureiro era nomeado pelo Pároco, servia vários anos.
O mordomo da capela da Nossa Senhora de Conceição era nomeado pelo mordomo anterior e aceite pelo Pároco, servia um ano e tinha como obrigação principal organizar a festa das chouriças.


A capela de Nossa Senhora do Bom Parto tem o mesmo tesoureiro e quatro mordomos nomeados anualmente, que depois do S. Miguel, tiram uma esmola no povo e nos povos vizinhos.


Em 1951, interpretando o sentir do povo, o pároco achou por bem nomear uma comissão consultiva auxiliar e um secretário que teriam como obrigação:
Detectar as necessidades das capelas, fazer a escrituração das suas receitas e secretário; Amândio da Silva, tesoureiro e mordomos de Nossa Senhora do Bom Parto: António Eusébio da Silva, António Lopes da Silva, José Eusébio da Silva e Maria dos Anjos Alves dos Santos; para a Comissão foram nomeados:
Artur Luís e Manuel Luís.

Desce a fundação da capela, a limpeza, o arranjo e cuidado das alfaias litúrgicas têm estado a cargo de Maria do Carmo Marques e Maria Laurinda Antunes que têm feito um excelente trabalho. São Também as guardiãs da chave da capela.

 

Fonte: Livro Alvoco da Serra de António Mendes Aparício 2007

CARACTERIZAÇÃO

Recenceamento
Segundo o recenseamento de 1950, Vasco Esteves de Cima tinha 44 fogos, 71 homens e 80 mulheres, à razão Mais…

A Familia Santos Marques
A família Santos Marques, à qual estão ligadas a maior parte das famílias da povoação, é a família mais numerosa e importante da localidade. Mais…

Construção Nova Capela
O principal impulsionador da nova capela construída no Cabeço e que tem como Orago Nossa Senhora do Bom Parto. Mais…

Vida Religiosa
Inicialmente a festa das Chouriças, realizava-se nas proximidades do Carnaval, em Quinta-feira das Comadres. No “tempo da juventude dos mais velhos começou a guardar-se o dia”. Mais…

No Limiar do 3º Milênio
A primeira capela de Vasco Esteves de Cima tem como Orago Nossa Senhora da Conceição e deve ter começado a construir-se em 1649, como consta dos Livros de Visitações.. Mais…