A Capela

A primeira capela de Vasco Esteves de Cima tem como Orago Nossa Senhora da Conceição e deve ter começado a construir-se em 1649, como consta dos Livros de Visitações.

O Livro de Visitações de 1650, folhas 50, reza assim: “E ordeno assim aos do Casal d’ Alem mandarão acabar a que têm começado em tempo de um mês com pena de dois mil reis. E tendo acabada achando o Padre-cura estar decente e com perfeição poderá dizer missa nela para o que lhe concedo licença”.

Em 1651, folhas 53, verso, regista: “Os moradores do casal d’ Alem não deram fim à sua ermida condeno a Fernão da Silva e Pedro de Gouveia em 500 reis cada um que pagarão dentro de três dias sob a pena de excomunhão maior e o Padre cura os dê por públicos excomungados e até a visitação futura dêem fim à capela sob as penas passadas”.

Em 1654, folhas 59, o verso: “Também Fernão da Silva ponhas as portas na sua ermida mais o for necessário e seu cunhado Pedro de pena de 800 reis”.

Em 1655, folhas 61, verso: Fernão da Silva e seu cunhado Pedro de Gouveia não fizeram as portas na sua ermida. Pagarão pois 500 reis sob a pena de excomunhão dentro de dois dias”.

Nos anos seguintes, o Livro de Visitações não volta a mencionar a capela de Vasco Esteves de Cima, embora continue a falar da capela de Vasco Esteves de Baixo, sinal de que deveria ter sido concluída.

Segundo a tradição oral, Vasco Esteves de Cima tinha nessa altura 7 moradores, o que na linguagem da época significativa 7 fogos ou famílias, o que equivalia a um esforço quase sobre-humano, apesar da dimensão da capela que tem 11 metros de comprimento, cinco de largura e quatro de altura.

Em 1913, construiu-se uma torre de madeira para aí ser colocado o sino e o relógio, que então foi comprado, graças a uma subscrição dos naturais de Vasco Esteves de Cima, residentes no Brasil.

A capela não tem capela-mor, nem arco cruzeiro. Apenas um degrau separa o altar da zona da assembleia. Tem um altar barroco, coro alto, com porta para o exterior e uma fresta de cada lado da porta principal da capela. É soalhada de castanho sendo o forro da mesma madeira.

As imagens de Nossa Senhora da Conceição, S. José e duas cruzes de altar são de madeira, enquanto as imagens do Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora de Lurdes, S. João e Menino Jesus, são em gesso.

Fonte: Livro Alvoco da Serra de António Mendes Aparício 2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *